Artnoc. Marcos Rodrigues. 32 anos. São Paulo - Brasil. 
Designer gráfico e artista visual. 

Desde criança sempre fui envolvido com tecnologia e quando ganhei meu primeiro computador, com menos de 10 anos de idade, começei a esmiuçar as personalizações e apropriações possíveis nos jogos digitais. Descobri a possibilidade de criar minhas próprias texturas e ver minhas criações nos jogos feitos por outros. A partir daí foi me especializando em outros softwares de edição e comecei a trabalhar com design para publicidade nas mais diversas e conceituadas agências do Braisl. Com o tempo foi me identificando mais como artista visual do que como diretor de arte, até que em 2017 abri meu próprio ateliê em São Caetano, o Contratempo. Ali realizei as mais diversas pesquisas visuais, além de eventos musicais e exposições artísticas. Atualmente sou freelancer em vários campos do design e da arte.

Meu trabalho autoral é pautado pela experimentação tanto de suportes como de técnicas, na busca de um resultado visual final esteticamente agradável, numa fuga de um nicho mercadológico. Minhas obras podem levar de um dia a vários meses para serem criadas e finalizadas, assim como cada suporte também pede um tipo de experimentação e resulta em um visual diferente do anterior. Não existe certo ou errado, ou melhor metodologia. Existe aquilo que irá se encaixar melhor para o resultado almejado, seja ele algo planejado ou expontâneo.

Artnoc é inspirado muito na arte de Alex Grey, artista americano especialista em arte visionária e psicodélica. A simetria e espelhamento, bem como as características psicológicas desses atributos são os aspectos mais visíveis dessa influência. A mescla dessa influência artística com minha própria jornada em design gráfico, dá origem a um mundo próprio, altamente psicodélico. Esse mundo é denso e permeado por camadas sobrepostas, tal qual a água tinta e a ponta seca nas gravuras em metal de que me apropria. Nesse universo próprio os ícones sagrados, as figuras políticas, os seres mitológicos são distorcidos e manipulados para gerar um sentido próprio que seja não só o reflexo mas também objeto de reflexão, da sociedade contemporânea e seus caminhos políticos e sociológicos.
Enviar
Muito obrigado! Entrarei em contato assim que possível.